sábado, julho 30, 2005

comentários

[para comentar enviar e-mail para: lrocha.mef@gmail.com
que de seguida o comentário será aqui publicado]
No site Olha o boneco do MEF coloquei esta minha pequena historia:
A minha história...
Bem...
vou tentar descrever a minha história...
eu queria ser desenhador, fui desenhador publicitário...
quando entrei para um atelier de design,
havia por lá um fotógrafo e como no atelier o trabalho era,
ou muito ou não se fazia nada, eu acabei por me interessar
por acompanhar na Câmara Escura o trabalho do fotógrafo.
Quando o Carlos (o tal fotógrafo e hoje meu amigo) recebeu
umas fotos que tinha enviado para um concurso eu ao olhar para elas
percebi que aqulio que eu queria era a fotografia
(pensava eu na altura que era uma forma mais fácil de desenhar),
para quem tenha conhecimentos de história de fotografia
vai reparar que o Cartier-Bresson tem uma história parecida,
já não se pode ser original...
Aprendi fotografia com a minha Zenith, que ainda conservo...
Comprei mais tarde a tão badalada Nikon FM2
que veio a ser roubada por um aluno, não tenho provas, enfim...
Venho a largar de vez o desenho e a ficar ligado à fotografia
quando o meu Patrão da altura me proibiu de ir estudar
os hábitos de consumo do pessoal que compra manteigas
nos super mercados porque pensava que eu queria era borga,
o que um gajo curte nos super mercados é hilariante...
Bem eu estava a desenhar (a arte final) um logo para uma manteiga
e queria perceber por que razão
nós pegamos numas embalagens e noutras não...
ele não me deixou sair e eu despedi-me...
aí fui para a tropa... (seria outra história).
Quando saí fui trabalhar na Televisão, com o ToZé Martinho...
onde fui fotógrafo de cena...
Saí da televião quando aparece a SIC
e dedico-me ao teatro e à dança enquanto fotógrafo,
depois vou para o Fotojornalismo,
mais tarde embarco na construção de uma revista de arquitectura
e de decoração de interiores, faço fotografia de editorial,
trabalho para agências de retrato de actores e modelos,
formo uma empresa "Imagens Marginais" com dois amigos,
fundo com os alunos de Carnide o MEF-Movimento de Expressão Fotográfica,
onde agora dedico 90% do meu tempo.
Deixei de ser fotógrafo profissional
(deixou de ser a minha actividade principal, agora sou formador no I.E.F.P.)
por opção e em termos fotográficos dedico o meu tempo a projectos de autor
como agora o projecto_Lisboa onde está inserido o MEF
e a Oficina da Fotografia - Câmara Municipal de Lisboa.
Em traços gerais a minha história...
Luís Rocha
O meu amigo Canhoto escreveu isto de seguida:
Um livro aberto.
Tu sempre foste assim: espontâneo, mas sem nunca descurares o enigma da coisa.
E a coisa a que me refiro é somente a tua genialidade humana.
Agustina Bessa-Luís escreveu um dia:
"Todos nós temos os nossos jardins secretos".
O Luís Rocha tem um jardim secreto cujo segredo reside bem mais na facilidade de abertura dos seus portões que no seu enclausuramento.
(qualquer dia pensam que tenho um caso contigo!!!! -
Não tenho, apesar dos beijos na boca!)
Abraços!
.......................................................................
No mesmo blog e o mesmo amigo
no dia dos meus 35 anos escreveu:
Terça-feira, Maio 17, 2005

Homenagem

Num esbelto corpo de atleta reformado,
Proeminente barriguinha, acentuada calvície,
Um castiço ser, atenta na gente.
Respira eterna juventude, alegre fado;
Podia ter sido padre ou escravo da velhice,
Se não fosse intrépido transeunte.
Aperaltado em T-shirts abonecadas,
Calçando coloridas sapatilhas de miúdo,
Oferece-nos imagens em genialidade sobeja.
Mas cheira-me, que em noites menos inspiradas,
Não há dúvidas onde se transforma em peixe graúdo:
Na Baliza…bebendo cerveja!
Ahh, chega de deambulações em romantismo sideral,
Que mania essa de adormecer no espaço!
Ouvem-se trombetas, estridentes sinos de metal.
Parabéns menino Rocha!
Aqui fica um grande abraço!
MM
.........................................................................