quinta-feira, agosto 04, 2005

«projecto Imagine Conceptuale»


O projecto Imagine Conceptuale começou com uma interrogação: "que percepção terá da fotografia uma pessoa que não vê, ou que vê muito pouco?"
Em 2003 o fotógrafo Luis Rocha, em representação do MEF - Movimento de Expressão Fotográfica, decidiu interpelar sobre o assunto a APEDV - Associação Promotora de Emprego de Deficientes Visuais, e o resultado foram dois cursos para pessoas portadoras de deficiencias visuais extremas. O entusiasmo de poder "aumentar o real" até um ponto em que se torna perceptível, até para um amblíope em alto grau, aliou-se ao aliciante "conceptual" de produzir um objecto artístico cuja comunicação com o público se desse exactamente através do sentido que o autor menos domina: a visão. O resultado foi um empenho fortissimo, uma atenção desmesurada e um quotidiano cheio de novas descobertas: podemos fotografar o que ouvimos, o que sentimos, até o que imaginamos. Podemos produzir imagens que, ainda que não tenham nascido de uma conceptualização puramente visual, são visualmente significantes para quem as olha, e transmitem através do olhar aquilo que pode ser a sua ausência.
Destes primeiros cursos resultou uma exposição que esteve patente na Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira e depois no Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa.
[Texto de Sara Rodrigues - Gabinete de Produção / Oficina da Fotografia]